O Líder do Governo na Assembleia Legislativa, Deputado Elcio Alvares, foi um dos parlamentares e autoridades que assinaram o pedido ao Governo do Espírito Santo para que desaproprie área destinada ao projeto do porto de águas profundas, que deve ser implantado em Ponta da Fruta, em Vila Velha, garantindo, com isso, que outros empreendimentos do mesmo tipo não sejam instalados na região. O Deputado,  junto com outros parlamentares, acompanhou a apresentação do projeto, feita por profissionais envolvimento no planejamento do novo porto.
O manifesto com o pedido foi entregue ao Governador Renato Casagrande, no Palácio Anchieta, às 17 horas de terça-feira. Se atendido, a área desapropriada pelo Governo ficará como reserva técnica o que, segundo os técnicos, permitirá o prosseguimento do projeto. O projeto do superporto foi desenvolvido pela Codesa, em parceria com a empresa DTA Engenharia O coordenador da empresa, Ernani Muraro, ao fazer a apresentação para os deputados informou que foi feita análise de toda a costa do Estado para a escolha do local para o empreendimento. Foram levantadas quatro áreas: Barra do Riacho, em Aracruz; Praia Mole, na Serra; Ponta da Fruta, em Vila Velha; e Ubu, em Anchieta. Duas delas foram selecionadas como possíveis recebedoras do empreendimento: Praia Mole e Ponta da Fruta.
A construção do porto está orçada em R$ 4,3 bilhões, mas, segundo o engenheiro, o empreendimento trará uma economia de R$ 3,9 bilhões para a atual cadeia logística de escoamento da produção. Além disso, o superporto deve atrair investimentos de R$ 1,4 bilhão para o Estado, o que significaria um saldo de R$ 1 bilhão. O diretor-presidente da Codesa, Clovis Lascosque, ressaltou a importância do empreendimento: “Nós seremos o porto mais moderno do Brasil”. O prefeito de Vila Velha, Rodney Miranda (DEM), mostrou-se satisfeito com a escolha de Ponta da Fruta: “O porto não trará só a geração de renda, mas também empregos para os nossos jovens. Vila Velha tem todo o interesse em receber esse empreendimento”, afirmou. (Com informações do site da Assembleia Legislativa)

 

2020-02-05T15:02:07-02:00